Brasil

Justiça ordena apreensão de menino de 12 anos suspeito de matar criança autista em escola

Um menino de 12 anos está sendo apontado como um dos principais suspeitos de ter matado Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de 9 anos, encontrada morta após uma festinha na escola em que estudava, na zona norte de São Paulo. A vítima era autista.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, o menor suspeito do crime foi ouvido pela delegacia que acompanha o caso. A Justiça de São Paulo expediu um mandado de internação provisória ao jovem no início da manhã.

A Polícia Civil informa que a própria mãe do adolescente foi quem o levou para a delegacia, após ele ter confessado o crime aos pais. No entanto, o jovem mudou a versão quando foi questionado pelas autoridades.

Ele disse que um outro suspeito, um homem conhecido como ‘Baianinho’, que estaria andando de bicicleta pelo local, também teria participado do crime.

O corpo da menina foi periciado pelo Instituto Médico Legal (IML). O laudo ainda não está pronto, mas a possível causa da morte é asfixia mecânica. Também há a suspeita de que a vítima tenha sofrido abuso sexual.

O caso

Uma menina autista de nove anos foi encontrada morta debaixo de uma árvore, durante uma confraternização de um Centro Educacional Unificado (CEU), localizado em Anhanguera, São Paulo. O caso aconteceu no domingo (29).

De acordo com informações do portal R7, a menina estava acompanhada da mãe. Em determinado momento, a mãe teria saído de perto da filha para buscar pipoca. Minutos depois, a criança havia desaparecido. Funcionários do local ajudaram a mãe a encontrar a criança.

Duas horas depois a menina foi encontrada, já sem vida, numa árvore, em uma área restrita da escola. O caso está sob investigação do Departamente de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Fonte: portal R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
× Fale com a redação
Fechar