BrasilCidades

Estudantes do Sertão de Pernambuco que moram na Bolívia solicitam auxílio do Consulado para voltarem ao Brasil

Duas estudantes de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, que estudam medicina e moram em Cochabamba, na Bolívia, buscaram ajuda do Consulado do Brasil para voltarem ao país. Elas alegam que as aulas da universidade foram suspensas e estão impedidas de sair de casa desde que as eleições do país foram realizadas.

“Infelizmente está passando por conflito desde o dia das eleições, no dia 20 de outubro. Estamos presas em casa, não podemos sair para a rua, não estamos podendo fazer feira de mercado, não estamos tendo aula porque está muito perigoso para sair para a rua. Entramos em contato com o Consulado Brasileiro para ver o que poderia ser feito por quem está vivendo aqui, mas infelizmente a resposta que tivemos é que no momento eles não podem fazer nada”, lamentou a estudante Ápia Ferraz.

Devido aos conflitos, as estudantes enfrentam dificuldades para comprar alimentos.

“A Bolívia está passando por um problema sério cívico e questões eleitorais. Está tudo fechado, a gente tem comida restrita. Eu mesma tenho comida até hoje. Meus vizinhos bolivianos estão me adotando, me acolhendo. A universidade não se pronuncia com nada, está tudo fechado, tudo complicado, a gente só dentro de casa. A cada dia as coisas pioram aqui, o Consulado Brasileiro não se pronuncia com nada e estamos aqui nessa loucura doida para ir embora”, relatou Camila Monteiro.

Em nota, o Itamaraty informou que a Embaixada acompanha a situação de segurança na Bolívia e orienta os brasileiros a permanecerem em casa e estocarem água e mantimentos.

Confira a nota completa

“A Embaixada em La Paz e as repartições consulares brasileiras na Bolívia continuam a acompanhar estreitamente a situação de segurança naquele país e a orientar os nacionais lá presentes, permanente ou temporariamente.

As representações têm alertado os brasileiros, por meio de seus canais na internet, a permanecer em suas residências, estocar, na medida de suas possibilidades, água e mantimentos, e evitar aglomerações e manifestações de qualquer natureza.

Fonte: G1/PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
× Fale com a redação
Fechar